curiosidades, dicas

Soja, o que você não sabe sobre ela!

Há tempos queria fazer um post falando aqui sobre a SOJA. Hoje em dia muito utilizada e cada vez mais perigosa a saúde.

Muitas pessoas quando descobrem a intolerância a lactose fogem para os produtos a base de soja (claro porque hoje já existe até leite condensado de soja, uma escapatória fácil para quem quer não quer ficar sem brigadeiro), ou até mesmo pessoas iniciando no vegetarianismo acabam substituindo a carne por proteína de soja. Eu nunca fui fã do gosto da soja e por isso não quis mergulhar nesses produtos quando descobri minha intolerância, e sempre tento alertar as pessoas a minha volta.

Entre as minhas pesquisas acabei achando um texto ótimo e super completo, no blog da Pat Feldman, não hesitei em vir aqui posta-lo para vocês! A pesquisa é na verdade de autoria do médico Alexandre Feldman.

sojaa

“Hoje em dia existe uma verdadeira febre de consumo de soja. Propagada como um alimento rico em proteí­nas, baixo em calorias, carboidratos e gorduras, sem colesterol, rico em vitaminas, de fácil digestão, um ingrediente saboroso e versátil na culinária, a soja, na verdade é mais um “conto do vigário” do qual a maioria é ví­tima.

É bem verdade que a soja vem da Ásia, mais especificamente da China. Porém, os chineses só consumiam produtos FERMENTADOS de soja, como o shoyu e o missô.

Por volta do século 2 A.C., os chineses descobriram um modo de cozinhar os grãos de soja, transfomá-los em um purê e precipitá-lo através de sais de magnésio e cálcio, formando o assim chamado “queijo de soja” ou tofu. O uso destes alimentos derivados de soja se espalhou pelo oriente, especialmente no Japão. O uso de “queijo de soja” como fonte de proteí­na data do século 8 da era cristã (Katz, Solomon H: “Food and Biocultural Evolution: A Model for the Investigation of Modern Nutritional Problems”, Nutritional Anthropology, Alan R. Liss Inc., 1987 pág. 50).

Não é à toa que os antigos chineses não se alimentavam do grão de soja. Hoje a ciência sabe que ela contém uma série de substâncias que podem ser prejudiciais à saúde, e que recebem o nome de antinutrientes.

Um destes antinutrientes é um inibidor da enzima tripsina, produzida pelo pâncreas e necessária à boa digestão de proteí­nas. Os inibidores da tripsina não são neutralizados pelo cozimento. Com a redução da digestão das proteí­nas, o caminho fica aberto para uma série de deficiências na captação de aminoácidos pelo organismo. Animais de laboratório desenvolvem aumento no tamanho do pâncreas e até câncer nessa glândula, quando em dietas ricas submetidos a inibidores da enzima tripsina.

Uma pessoa que não absorve corretamente os aminoácidos, tem o seu crescimento e desenvolvimento prejudicado. Você já notou que os japoneses são, normalmente, mais baixinhos? Já os descendentes que vivem em outros paí­ses e adotam as dietas desses paí­ses, costumam ter uma estatura maior que a média no Japão. (Wills MR et al: Phytic Acid and Nutritional Rickets in Immigrants. The Lancet, 8 de abril de 1972, páginas 771-773).

O efeito inibitório da absorção de aminoácidos pode comprometer a fabricação de inúmeras substâncias formadas a partir dos mesmos, entre os quais, os neurotransmissores. A enxaqueca, a cefaléia em salvas, a cefaléia do tipo tensional, e outras dores de cabeça, além de depressão, ansiedade, pânico e fibromialgia, são causadas por um desequilí­brio dos neurotransmissores. Qualquer fator que prejudique a sua fabricação, pode aumentar ou perpetuar esse desequilí­brio.

A soja contém também uma substância chamada hemaglutinina, que pode aumentar a viscosidade do sangue e facilitar a sua coagulação. Portadores de enxaqueca já sofrem de um aumento na tendência de coagulação do sangue e uma propensão maior a acidentes vasculares. A pior coisa para esses indiví­duos é ingerir substâncias que agravam essa tendência.

Tanto a tripsina, quanto a hemaglutinina e os fitatos, que mencionaremos a seguir, são neutralizados totalmente pelo processo de fermentação natural da soja na fabricação de shoyu e missô, e parcialmente durante a fabricação de tofu.

Os fitatos, ou ácido fí­tico, são substâncias presentes não apenas na soja, mas em todas as sementes, e que bloqueiam a absorção de uma série de substâncias essenciais ao organismo, como o cálcio (osteoporose), ferro (anemia), magnésio (dor crônica) e zinco (inteligência).

Você não sabia de nada disso?

Mas a ciência já sabe, estuda esse fenômeno extensamente e não tem dúvidas a respeito. Já comprovou este fato em estudos realizados em paí­ses subdesenvolvividos cuja dieta é baseada largamente em grãos. (Van-Rensburg et al: Nutritional status of African populations predisposed to esophageal cancer, Nutr Cancer, volume 4, páginas. 206-216; Moser PB et al: Copper, iron, zinc and selenium dietary intake and status of Nepalese lactating women and their breast-fed infants, Am J Clin Nutr, volume 47, páginas 729-734; Harland BF, et al: Nutritional status and phytate: zinc and phytate X calcium: zinc dietary molar ratios of lacto-ovo-vegetarian Trappist monks: 10 years later. J Am Diet Assoc., volume 88, páginas 1562-1566).

Claro que a divulgação desse conhecimento não é do interesse de toda uma indústria multibilionária da soja. A soja contém mais fitato que qualquer outro grão ou cereal. (El Tiney AH: Proximate Composition and Mineral and Phytate Contents of Legumes Grown in Sudan”, Journal of Food Composition and Analysis, v. 2, 1989, pp. 67-78).

Para os demais cereais e grãos (arroz integral, feijão, trigo, cevada, aveia, centeio etc), é possí­vel reduzir bastante e neutralizar em grande parte o conteúdo de fitatos, através de cuidados simples, como deixá-los de molho por várias horas e, em seguida, submeter a um cozimento lento e prolongado. (Ologhobo AD et al: Distribution of phosphorus and phytate in some Nigerian varieties of legumes and some effects of processing. J Food Sci volume 49 número 1, páginas 199-201).

Já os fitatos da soja não são reduzidos por essas técnicas simples, requerendo para isso um processo bem longo (muitos meses, no mí­nimo) de fermentação. O tofu, que passa por um processo de precipitação, não tem os seus fitatos totalmente neutralizados.

Interessantemente, se produtos como o tofu forem consumidos com carne, ocorre uma redução dos efeitos inibidores dos fitatos. (Sandstrom B et al: Effect of protein level and protein source on zinc absorption in humans. J Nutr volume 119 número 1, páginas 48-53; Tait S et al, The availability of minerals in food, with particular reference to iron J R Soc Health, volume 103 número 2, páginas 74-77).

Mas geralmente, os maiores consumidores de tofu são vegetarianos que pretendem consumi-lo em lugar da carne!

O resultado?

Deficiências nutricionais que podem levar a doenças como dores crônicas, como dor de cabeça e fibromialgia. O zinco e o magnésio são necessários para o bom funcionamento do cérebro e do sistema nervoso. O zinco, em particular, está envolvido na produção de colágeno, na fabricação de proteí­nas e no controle dos ní­veis de açúcar no sangue, além de ser um componente de várias enzimas e ser essencial para o nosso sistema de defesas. Os fitatos da soja prejudicam a abosrção do zinco mais do que qualquer outra substância.(Leviton, Richard: Tofu, Tempeh, Miso and Other Soyfoods: The “Food of the Future” – How to Enjoy Its Spectacular Health Benefits, Keats Publishing Inc, New Canaan, CT, 1982, páginas 14-15).

Por conta da tradição oriental, indústria da soja conseguiu inseri-la num patamar de “alimento saudável”, sem colesterol e vem desenvolvendo um mercado consumidor cada vez mais vegetariano. Infelizmente, ouvimos médicos e nutricionistas desinformados, ou melhor, mal informados por publicações pseudo-cientí­ficas patrocinadas e divulgadas pela indústria da soja, fornecendo conselhos, em programas de TV em rede nacional, no sentido de consumi-la na forma de leite de soja (até para bebês!!), carne de soja, iogurte de soja, farinha de soja, sorvete de soja, queijo de soja, óleo de soja, lecitina de soja, proteí­na texturizada de soja, e a maior sensação do momento, comprimidos de isoflavonas de soja, sobre a qual comentarei mais adiante neste livro. A divulgação, na grande mí­dia, destes produtos de paladar no mí­nimo duvidoso, como sendo saudáveis, tem resultado em uma aceitação cada vez maior dos mesmos por parte da população.

A minha dica: Quando consumir soja, utilize apenas os derivados altamente fermentados, como o missô e o shoyu. Mesmo assim, muita atenção para os rótulos. Compre apenas se neles estiver escrito “Fermentação Natural”, e se NÃO contiverem produtos como glutamato monossódico e outros ingredientes artificiais. Quando consumir tofu, certifique-se de lavá-lo com água corrente, pois grande quantidade dos antinutrientes ficam no seu soro.”

O texto completo vocês encontram no site dele, e como sempre aprendemos em pesquisas, agora sei que se deve lavar o tofu antes de usar, e agora farei isso sempre!

Espero que tenham gostado e entendido o porque não é legal consumir tantos produtos a base de soja, até porque se você consome muitos industrializados, você já consome soja sem saber – a maioria dos produtos utiliza estabilizantes a base de soja. Por isso sempre recomendo: leia o rótulo!

Anúncios

10 thoughts on “Soja, o que você não sabe sobre ela!”

  1. Flor! Sempre você trazendo essas infos, né?! Eu já tinha ouvido falar dos perigos da soja, mas não tinha encontrado nada com muitas informações, então estava esperando a próxima consulta com a nutri pra perguntar.
    Desde que descobri a intolerância tenho estudado e tomado alguns cuidados a mais com a alimentação, porque não quero dar sorte pro azar né.. Lendo seu artigo lembrei que quando estava em Curitiba chupei um picolé de soja e um tempo depois me deu uma dor de cabeça horrível, igual as que eu tinha antes de saber da intolerância. Pensei em tudo que pudesse ter comido com leite e não, nada. Só o raio do picolé mas pensei: Cara, não posso ser tão azarada.
    Meu teste de alergia tardio deu negativo, mas foi o cutâneo e a médica já tinha me alertado sobre a possibilidade de ser um falso negativo.
    A dor de cabeça pode ter sido por qualquer outro motivo, mas vou pedir um exame mais completo, comprei algumas coisas de soja (requeijão, cream cheese) e tenho sentido alguns incômodos. Que coisa, quando a gte acha que encontra uma ‘salvação’, descobre que pode ser pior. Mas, é melhor saber do que ficar na ignorância né? Só tenho esse corpo pra morar, vou tratar de cuidar bem dele.

    Obrigada por todas as infos, você é uma linda!

    1. Realmente você falou tudoo! Só temos esse corpo pra morar e temos que cuidar sim! Eu não sinto desconforto com a soja mas quero cuidar pra não ter ne! E claro que é muito fácil fugir pra ela, ja existe tudo de soja pra substituir os feitos de leite!
      Converse com sua nutri e peça um exame melhor sim, é melhor saber e cuidar!
      E depois da intolerância a gente coloca a culpa de qqr desconforto nela né! Haha é bom ficar de olho em tudo mesmo!
      Beijao amada, seus comentários são sempre ótimos!!!

  2. Comecei a fazer as pastinhas de tofu do seu blog e praticamente nao estou usando mais cream cheese light nem cottage.. a preferida é a de tomate seco adoro.

    Já mandei o link do seu blog para umas amigas que dão Ades para seus bebes achando que estao arrasando…
    Vou começar a lavar ele também….

    Outra pergunta que nao tem relação com o post, quero fazer o leite de avelã vou fazer pouco mas mesmo assim qual a durabilidade dele na geladeira?

    Beijos =*

    1. Ai a de tomate seco é maravilhosa mesmo né! É uma das que mais gosto também! E e agente nem sente falta mesmo de cream cheese né!
      Manda o link sim, pra crianças é ainda pior ja que elas são mais sensíveis e podem desenvolver alergias mais rápido..
      Eles duram cerca de 4, 5 dias na geladeira, mas acredite o de avelã é tão maravilhoso que acho difícil ficar esse tempo todo! hahah beijos!!

  3. Voltei pra te contar! Conversei com a nutri, expliquei o que aconteceu na viagem e o que vem acontecendo desde que comecei a consumir esses produtos com soja diariamente.
    Pelos exames que eu já tinha feito, ela apontou que tenho sensibilidade a soja e me pediu para diminuir a frequência de uso (uma vez na semana no máááximo, ou a cada 15 dias). E me falou que uma grande porcentagem das pessoas intolerantes a lactose acabam por ser sensíveis à soja também, mas sem saber acabam se entupindo com ela, e bem como você disse..sentem os sintomas da intolerância e ficam tentando lembrar o que pode ser consumido com leite que possa ter feito mal.
    Ai menina, quanto mais vou no médico, mais tenho certeza que passei na fila do azar descontroladamente! Até meu grego ela cortou. Além de tudo isso, ainda vou precisar dar uma freada no glúten, que apontou memória antiga e leve intolerância atual.
    Vou ali fazer fotossíntese que tá mais fácil! hahaha

    Mas brincadeiras a parte, é importante investigar cada pontinho positivo dos exames, tem muita gente se intoxicando sem saber (tipo eu) e achando que tá tudo bem. Maquininha exigente esse corpo humano.

    Beijo linda! Logo passo por aí fazer seu curso! ;*

    1. Hahahahahahaha viver de água é mais fácil ne! Hahahah
      E que fila do azar que nada tem gente com alergias e intolerâncias muito pior, e pior ainda, não tem informação para poder ser tratar! Você é abençoada por poder descobrir o que te faz mal! As vezes só reduzir ou cortar por um certo período já resolve, só o tempo do corpo desinflamar e se livrar do excesso! Eu ainda não fiz exame de sensibilidade ao glúten, mas depois que comecei a evitar reparo que quando como em excesso me deixa bem inchada! Mas dai é também só questão de costume! Porque hj em dia ta bem mais fácil achar opçõe ne e como vc também adora fazer receitas fica mais fácil ainda!!
      Boa sorte nessa nova fase de adaptação, mas não precisa se preocupar que com força dd vontade se consegue fácill!!
      Beijao lindona!!

  4. Olá, achei a matéria interessantíssima , eu sou intolerante a lactose 100 % e consumia iogurte de soja e comecei a sentir fortes dores abdominais que fui parar no pronto socorro, a minha médica pediu para suspender mas demorou para saber que era o iogurte, depois de um tempo comprei o extrato de soja e nem terminei de tomar comecei a passar muito mal e agora vendo essa matéria já fiquei em alerta e vou passar para minha médica, muito obrigada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s